segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

Melhor prevenir do que remediar!

Falando de um assunto sério agora, para variar um pouco.

Vi ontem no Fantástico (salve a cultura inútil global!) uma matéria que me deixou com a sensação de estar vivendo dentro de um filme* ou livro**, ou ainda, como uma das entrevistadas comentou, de volta aos tempos da 2ª Guerra Mundial, onde o tio Hitler pintou e bordou com a vida de milhares de pessoas inocentes.

O que me chocou tanto? Foi isso:

Alguns pesquisadores brasileiros decidiram mapear o cérebro e o DNA de detentos da Febem Fundação Casa, para descobrir se a violência vem de algo fisiológico ou se é apenas reflexo da vivência do jovem.
A proposta gaúcha nem bem foi lançada e a polêmica já começou, a oposição acredita que isso seja falta de respeito com os jovens que não são ratos, nem macacos e que isso pode acabar originando um preconceito com algumas características, como ocorreu com as pesquisas de Cesare Lombroso.
Tirando o fato de que se fossem animais a pesquisa também não seria ética, a oposição, ao meu ver está mais que certa.
Nenhuma descoberta real ainda foi feita, mas já há várias suposições, entre elas que o cérebro da pessoa violenta tem partes atrofiadas, com tamanho menor, e isso o torna mais suscetivo aos instintos. Digamos que estejam certos, o que sinceramente acho difícil, e que a pessoa nasça com esse "sinal violento", quanto tempo demorará para que recém-nascidos passem por exames para definir seu "perfil". E as crianças que tenham isso, o que será feito com elas? Medicação, tratamento e o que mais?
Não seria essa uma nova característica, logo um novo preconceito? Uma nova eliminação nos processos seletivos escolares e profissionais?
Você pode dizer que estou olhando longe demais, que se isso acontecer demorará anos e anos, mas isso é o início de tudo, essa pesquisa e várias outras que já estão sendo feitas ou apenas planejadas.
Quantas pessoas poderão sofrer as consequências futuras dessa pesquisa? Quantas vezes ouviremos "É melhor prevenir do que remediar" quando examinarem nossos filhos, netos, bisnetos?

Os pesquisadores querem encontrar um "defeito de fábrica", quando o problema é muito mais social do que de saúde. O meio social, a família, a vivência pessoal é muito mais determinante na violência de uma pessoa, claro, que a natureza conta também, mas não é um fator único e, talvez conte menos do que o resto.

Só que se eles encontrarem uma diferenciação, algo que os violentos tenham mais, pode ter certeza que todo resto deixará de contar, e apenas o físico contará. As pessoas com esse "sinal" serão excluídas, de várias formas, tachados de criminosos antes de qualquer crime, e recebendo esse tipo de tratamento se revoltarão e talvez se tornem realmente violentos, "comprovando" a tese.
Nunca fui muito boa em textos sérios, mas é isso, tentei, agora é sua vez: O que acha do mapeamento do cérebro e DNA de criminosos?


* Gattaca – A Experiência Genética, de Andrew Niccol (1997)

[EDIT] Acabei de lembrar que o Fantástico fez uma enquete, se deveria ou não fazer a pesquisa, 90% dos votos foi para SIM. [/EDIT]

terça-feira, 15 de janeiro de 2008

Tentada Para Matar (ou Morrer)

Mês após ela volta para me atormentar, vem sutilmente, não se deixa notar. E pouco a pouco toma conta de mim, do meu corpo, da minha cabeça e, claro, dos meus hormônios!
Sinto uma raiva quase que insuportável, por motivos estúpidos, e minutos depois desato em lágrimas. É sempre assim, uma semana inteira em que as lágrimas ficam fáceis, os olhos pesados e, eu, perturbada.
No verão sempre é pior, o calor me faz suar e ela me faz sentir ondas de ódio. Minha pele quente lhe incomoda, minhas roupas, meu cabelo na nuca, meus movimentos, tudo a incomoda! Conseqüentemente me incomoda! Mas não é um incômodo qualquer, é o pior que uma mulher pode sentir!
A falta de apetite reveza com a fome insáciavel, o desejo perturbador por doces. E logo depois por salgado e, mais doce, por favor! E no dia seguinte, cadê o apetite? No meio do dia, volta a fome. Coitadas das que tem tendência a engordar!
Se alguém olha torto, quero esganar. Se alguém pisa no calo, quero retalhar. Se alguém fala um pouco mais alto, caio em lágrimas! Cinco minutos de ódio, cinco minutos de choro, alguns dias de desespero.
Ela é um amplificador, uma potência, tornando tudo muito maior do que o normal, aumentando cada minúsculo sentimento em uma explosão de sensações. É uma faísca, que acende a dinamite.
O que me incomoda passa a me irritar como a pior coisa do mundo. O que não é o melhor passa a ser intolerável, e o que é melhor passa a ser duvidoso.
Nessa época já não sei de mim, tudo fica mais confuso, não sei responder se sou eu ou se é ela! E quem consegue? Com uma bomba preste a explodir dentro...dentro do útero? Da cabeça? Do coração? Sei lá...
Mesmo assim, mesmo com essa coisa que volta a atormentar todos os meses, vou ter que tomar uma decisão. Não só por mim, mas principalmente para não fazer ele passar por isso de novo, muito menos todo mês. E se vai ter que ser com uma bomba prestes a explodir no meu corpo, que seja, eu me viro. Vamos lá. Vamos pensar...E entre lágrimas e explosões eu tento pensar.
Ainda bem que ela passa, a cólica vem, passa também, e finalmente, vem o sangue. E então, só mês que vem.
Apesar de tudo isso, apesar de volta e meia eu dizer que na próxima vida venho homem, de não entender o que nós mulheres fizemos de tão errado para passar por isso (todo mês), eu amo essa coisa de ser mulher! E você, como lida com isso? Com a TPM, com as cólicas, com a complicação de ser mulher?

segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

2008 veio mesmo...

...e veio com tudo para mim!
Desculpem a demora para postar, mas essa época de festas tava complicada e para piorar (ou melhorar) eu decidi fazer um site/ blog de “utilidades bloguísticas”! Ainda não está com o conteúdo completo, bem na verdade nunca estará, já que estará sempre sendo atualizado, mas quem quiser conferir já CriaRecria.

Minha virada foi muito boa, bem melhor do que esperava! E completamente diferente do ano passado, quando o Alex decidiu passar longe de mim, o que ainda hoje, escrevendo esse post, me deixa indignada. Mas esse ele passou ao meu lado, e talvez por isso tenha sido tão bom, um dos melhores se não o melhor.
Com direito a violão, smirnoff ice e muito risada...e o melhor de tudo, bem pertinho do mar. E não, não estava lotado como eu temia – temor, aliás, que quase fez com o que eu não fosse – apesar de na hora da volta o trânsito estar um pouco complicado e o carro não ajudar muito, mas deu tudo certo e, na verdade, eu nem me estressei.Foi muito bom receber 2008 ao lado de Yemanjá, e senti-la tão próxima. Era como estar no meio de seres mágicos, Hecate, claro, como a ótima mãe que me é, também estava comigo! E acho que eu nunca me senti tão próxima desse mundo paralelo e com tanta vontade de rezar, de me jogar de cabeça na magia.E foi assim, basicamente, que 2008 chegou para mim: dançando, orando, sorrindo/ rindo. Espero que o resto do ano seja assim também! Para todos nós!

Eu que achei que depois do Reveillon (que eu nunca sei escrever) tudo ia ficar mais sossegado me enganei redondamente, esse fim de semana foi a festa de aniversário de 10 anos do meu priminho em uma chácara, e aqui estou eu, com a cara vermelha e dolorida porque não queria sair da piscina e esqueci de passar protetor. Use filtro solar! E hoje, que era o aniversário mesmo, teve mais um bolo na casa da minha tia, sem piscina, mas com guerra de mamona, que não me deixou marcas, mas tem duas marcas roxas nas costas da minha irmã! Rsrs
Que delícia ser criança!

Ainda hoje, meu pai, que é diretor da rede pública, passou para supervisão. Só que vai trabalhar na cidade vizinha (a que eu estudo e onde o Alex mora), e vai alugar uma casa lá, provavelmente vou para lá também!
Estranho que falei tanto por aqui de parar e refletir, de digerir e tals, mas foi só dia 4 que reparei que não tinha feito isso! Mas já fiz, com muito remorso pela demora, mas fiz e tô fazendo. E você, já fez?

Acho que por enquanto é só! Um post só para marcar presença e contar as novidades, tentarei fazer com que o próximo tenha conteúdo.

Beijos! E que 2008 seja maravilhoso para vocês como está sendo para mim!

PS: Lizzie, desculpe mesmo a demora...como você viu, não foi de propósito! Ótimo 2008, querida!