quarta-feira, 26 de março de 2008

Há esperança!

Aprendendo a me equilibrar curva a curva de asfalto filosófico, me perdendo em meus próprios pensamentos loucos, me encontrando em cochilos rápidos, procurando a poesia que o tempo levou de mim, tentando unir palavras que minha cabeça esquece, desejando uma máquina que guarde pensamentos...e assim eu vou, caminhando com as pernas imóveis, percorrendo caminhos idênticos: ora reais, ora mentais.
O painel cheio de luzes me chama, me convida, tento adivinhar para que serve cada luz, sigo em um jogo sem vencedores, onde os jogadores sou eu e mim mesma. E o tempo passa...as noites vão sempre iguais.
A menina segue procurando a mulher, jurando que erraram na receita e colocaram uma alma masculinizada demais para uma pessoa tão pequena. Sem saber se ser menina-mulher-homem é mais um dos muitos contrastes, sigo, tentando crescer, feminizando meu ser sem perder a acidez masculina nem a inocência da menina.
Escrevo, sem encontrar a poesia. Pensando que se poeta não combina com minha alma, quem dirá poetisa: títulos doces demais para meu acre sabor.
Penso em quantos mais percebem que se na mão direita tenho uma borboleta amarelo sol, na esquerda tenho um corvo negro noite. Sigo, sem saber se é tudo coisa de uma cabeça fértil demais...
Desisto de poetizar minhas palavras, já devo ter acostumado com a praticidade. É fato: PERDI A POESIA! Deixei de lado os floreios, esqueci onde deixei os rodeios literários. Consumou-se: ME PERDI!
Há alguns anos todo meu eu era recheado de palavras, vírgulas e pontos. Quantas noites em claro manchando papéis, canetas destruídas nessa pequena mão, palavras desperdiçadas no vento da noite, sonhos vomitados em cadernos velhos. E hoje? O que tenho?
Se foram as palavras, perdi a literatura, esqueci os fonemas, desperdicei as figuras de linguagem. Enfim: GASTEI TODO MEU VOCABULÁRIO! Até aquele que eu não tinha.
Nesse parágrafo eu diria do arrepio frio que me passava à espinha durante as horas perdidas em poemas e contos, do prazer macabro e gélido que me trazia. E da falta que me faz...mas,de repente, ele voltou, escrever em códigos me excita novamente. Fecho os olhos e o sinto aqui, o arrepio, deixo que ele erice cada pelo da minha coluna, sinto minha pele repuxando junto com meus lábios em um sorriso discreto, sincero.
Talvez eu ainda tenha salvação, talvez, só talvez, as palavras não tenham fugido para muito longe, e ainda exista chance de eu correr atrás delas. Pode até ser que algum dia minha poesia se torne literatura de verdade, e não seja somente esses rabiscos virtuais e sem muito sentido.
Esse sonho de criança ainda está vivo, mas tão longe, tão distante, que o arrepio vem acompanhado de olho marejados. Minha única arte é a escrita, meu único dom são as palavras, mas nunca fui suficientemente bom para mim, eu quero mais, preciso de mais. Mais inspiração, mais talento, mais qualidade, mais poesia...
Preciso de mais eu?

...esperança...

terça-feira, 11 de março de 2008

Autoconhecimento

De uns anos para cá muito se tem muito falado da necessidade desse tal 'autoconhecimento'. Quem foi que nunca ouviu isso?
Em questões espirituais é necessários conhecer a alma, os pensamentos, entender das coisas superficiais às mais profundas, aquelas que ficam em nossa sombra.

Quando se fala de exercício físico, é preciso conhecer os limites do corpo: até onde eu posso ir sem me prejudicar? Quanto meu coração, pulmão, músculos agüentam? E minha cabeça, suporta esse tipo de exercício?

Em saúde é preciso conhecer o que o corpo tem em excesso e o que falta. Conhecer o histórico familiar também ajuda, pela tal da hereditariedade. Autoconhecimento na saúde auxilia na prevenção de doenças e correção de distúrbios.

Até em sexualidade é necessário o autoconhecimento, para alcançar o prazer é preciso conhecer seu corpo, vê-lo, tocá-lo, senti-lo, amá-lo.

Autoconhecimento parece ser a chave de tudo, e, na minha modesta opinião, é mesmo. Não é um processo fácil, e pode até não ser agradável, mas é recompensador. Parece um quebra-cabeça sendo montado, e a figura que se forma somos nós.

Conhecer-se poupa de uma experiência nada boa chamada decepção, quem nunca se decepcionou consigo mesmo? Quem já chegou a desrespeitar seus limites - sejam físicos, mentais, emocionais - e se machucou tanto que as cicatrizes voltimeia sangram.

Quem não se conhece sempre terá decepções consigo mesmo, sejam pequenas e bobas ou enormes frustrações. Claro que há situações [quase] impossíveis de prever, que só ali, na hora, no calor do momento tomaremos uma decisão.Um exemplo dessas situações é: Você foi seqüestrado(a) e sabe que quem fez isso irá te matar, só há uma chance de se livrar disso, matando o seqüestrador. Você o mata?

Sim, é uma situação meio 'Jogos Mortais', mas não deixa de ser uma possibilidade. Ainda mais em tempos em que ser assaltado é tão comum quanto trocar de roupa.

Outro fator importante é a auto-estima. E nós, adolescentes, sabemos bem disso! Entre as crises existenciais, as relações de amor e ódio próprio, sentimos uma necessidade ardente: o autoconhecimento. É a época em que a personalidade se forma, que nos conhecemos (ou deveríamos), que decidimos se gostamos disso tudo ou não.

Para alguns pode parecer bobo, mas a relação entre auto-estima / autoconhecimento é bem lógica, afinal como estimar algo que não conhecemos, no caso, nós mesmos. Como saber se gosto disso ou daquilo se nunca experimentei? Se conheça e se ame (ou se odeie!).

A questão que me fez escrever não foi dita ainda, eu, como boa adolescente e uma futura-possível-bruxa, sempre senti necessidade de me conhecer, de entender minha luz e minhas sombras, de entender meus muitos eus, meus vários contrastes. Meu foco sempre foi meu interior: alma, mente, coração.

Esses dias, em uma fase 'menininha', pensando em coisas como cores que combinam comigo (fisicamente), cores e truques de maquiagem para o meu rosto e coisas nesse sentido, me deparei com perguntas que me fizeram parar para pensar. Eram perguntas como: olhos pequenos ou grandes, juntos ou separados, boca bem desenhada ou sem definição, lábio superior maior ou menor, pele seca, mista ou oleosa.

Percebi uma coisa, que eu até diria ser estúpida, mas é importante. Eu, sempre tão preocupada em me conhecer, não sabia, sem olhar no espelho, o tipo dos meus olhos.

Eu sei que tenho nariz grande, boca fina, sobrancelhas vastas, olhos castanhos escuros com um desenho que gosto, mas não sabia muito mais que isso.

Parei para pensar, como posso conhecer meu interior se não sei nem como é minha 'casca'? Não sabia meu tipo de cabelo (misto), nem minha pele (também mista), e ainda não sei definir minha cor de pele, sou clara, mas não completamente branca (vide atrizes americanas rs).

Pensando nisso tudo agora, acredito o autoconhecimento deva ser de fora para dentro, mas o fora não é o mundo, mas o corpo. Conhecer o corpo pode e deve ser uma das fases do autoconhecimento.

Alguém mais espiritual poderá dizer que e o corpo morre, mas a alma não, logo ele não é você. Mas ele não morreu ainda, e saber viver o agora é importante também, conhecer-se é importante, e meu corpo, momentaneamente, sou sim!

Antes de 'me jogar' em uma meditação, vou me postar frente ao espelho e saber quem sou eu.E vocês, como lidam com essa questão de autoconhecimento?

sábado, 8 de março de 2008

Desculpas, Projetos e Selos!

Já pedi desculpas no CriaRecria, mas nunca é demais, né? rs
Quem acompanha esse blog aqui sabe que esse ano estou cheia de projetos , e foi um desses projetos que fez com que eu me afastasse durante essa semana dos meus blogs e de comentar nos blogs que leio. Só para constar no autos, eu não tenho comentado muito, mas tenho lido, viu gente?!

Aproveito o assunto para pedir para vocês coloquem feed nos blogs!!! Eu tentei adicionar todos os da minha lista lateral (todos valem a pena, confiram!) no meu feed (é, agora eu também tenho isso rs), mas só alguns tinham, fiquei triste!

Voltando aos projetos, como foi um dos meus objetivos desse ano que me fez sumir decidi colocar aqui em que passo estou com cada um:

1. CriaRecria: Adorando ele, adorando o retorno que ele tem me dado!! Muito feliz mesmo com ele.

2. O site Batida Zero (da empresa do Alex, meu lindo) já está com o layout pronto, mas falta o conteúdo, o que acredito que faremos (eu e ele) esse final de semana. Mas quem quiser já conferir como provavelmente vai ficar e dar sua opinião, sinta-se a vontade!

3. Meu portfólio on-line! Que foi o que me prendeu esse semana, ainda faltam alguns ajustes, mas está quase pronto. Talvez eu mude as cores, e alguns detalhes, mas o layout vai ser o mesmo. E logo logo estará pronto e então, será só adicionar mais trabalhos. Mais uma vez quem quiser conferir e opinar!
Não consegui [ainda] um domínio próprio, e acabei tendo que fazer meio que nas coxas, mas estou feliz!

PS: Fazendo também o portfólio manual.

4. O blog/ site vai ter que esperar mais.

5. Com o Batida Zero e meu portfólio estou aprendendo a criar sites, pretendo fazer cursos, mas por enquanto vou me virando e aprendendo na raça, como diria meu pai.

6. Esse post também está mal escrito, mas percebam que diminuiram (um pouco..rs) os parênteses! rs

7. Em andamento! rsrs



Selos, muitos selos!

Vocês não tem noção de como estou feliz!
Durante o meu sumiço recebi nada menos que 3 selos, fora o do CriaRecria, sim! Três selos só para o Sangue, Rosas e Vinho tinto, que nem se pretende tanto...rs
Vamos aos selos:

Recebi da querida, Fabíola Weykamp, esse selo e fiquei ainda mais feliz (já estava com o último selo que ela me deu) de saber que o SRVT (Sangue, Rosas...) não sai da cabeça dela! Por dois motivos, 1. Que o dela também não sai da minha! E porque oôo cabecinha boa, gente! Leiam os textos dela e entenderão!
Repasso-o para os blogs:

- Doces Deletérios (Lizzie Pohlman)

- Templates para Você (Áurea)

- Via Paralela (Arthur Silva)




Recebi do Arthur Silva, esse selo, que também me deixou muito feliz! Ele é realmente uma mente iluminada, tanto que me assustei ao saber da 'idade' do blog dele, novissímo gente, mas com cara de gente grande! Então, não percam essa novidade virtual e confiram o Via Paralela!
Passo para os blogs:

- Epílogo (Fabíola Weykamp)

- Devaneios, Sonhos e Loucuras (Camilla)

- Aukimia (Áurea)

- Literatura Vil (Leon K.)



Recebi esse selo da Áurea, que, para quem não conhece, é uma das grandes mulheres da blogosfera (nunca sei escrever isso), com seus blogs cheio de utilidades, informações e de templates lindos. (Sim, blogS, no plural, porque ela tem blogS, rs, linkei o perfil dela para vocês poderem aproveitar todos, ok!)

Unsettled-Thoughts (*Lusinha*)

Microship (André)

Epílogo (Fabíola Weykamp)

É isso, gente! Selos agradecidos e devidamente repassados, só não deu para dar mais dos blogs 'indicados', mas confiram e verão que não recomendo nada por recomendar!

Até o próximo post!!

[EDIT] Parabéns para nós, mulheres! [/EDIT]

[EDIT 2] Só hoje percebi que não tinha linkado nem meu portfólio nem o site do Batida Zero, mas já resolvi isso e agora sim, quem quiser pode conferir! [/EDIT]