quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Dezenove

Quase um mês desde o último post que segui terminava com "to be continued", e esse não sera exatamente a continuação daquele, mas será. (Deixo tudo muito claro como sempre!rs)

Muita coisa mudou desde que eu tinha dezoito aninhos até agora, nos meus dezenove e um mês. rs. E é verdade, mudou mesmo, nunca um aniversário me trouxe tanta coisa nova.
A comemoração por si só já foi perfeita e, me dói saber que quem a fez ser tão perfeita, teve um aniversário péssimo por essa que vos fala, mas...ainda consertarei isso!
Flores roxas, livro, bolsa, morangos, beijos, amor...perfeito.

Foi também no meu aniversário que finalizei meu portfólio on-line, tomei vergonha na cara, fiz um mais simples do que queria, mas com tudo que precisava pôr de conteúdo, claro que ainda falta muito, mas ele já me rendeu duas entrevistas (uma que será amanhã e a outra que foi sexta retrazada) e um estágio. Sim, um estágio! E tem como ficar mais feliz? Vou estagiar em uma agência de publicidade, coisa que sempre sonhei com aquela ponta de "será que vai acontecer?".

A cena agora é colorida, as árvores estão verdinhas, exibindo majestosas frutas suculentas, a grama cresce e o orvalho fino recobre a paisagem, dando ainda mais brilho. O sol banha com seus raios amarelos a paisagem, se joga em meu rosto e me aquece, vez ou outra uma brisa suave me acaricia a pele e eu sorrio, com as cócegas que o ar me faz. A terra quente em que me sento me aceita com um filhote em um ninho, e vez ou outra eu tomo a água do rio que corta a estrada, brinco em sua água e sorrio mais uma vez. Ainda há muitos destroços da paisagem, coisas que realmente não pude arrumar ainda e outras que deixei passar, mas pouco a pouco as coisas vão tomando seu lugar.
Meu coração, contraditório, vez se parece afogar em si mesmo fingindo não ver a paisagem e, mais uma vez me fecho em mim, porém, eu acordo e revejo tudo, sorrio de novo, penso como alguém pode se dar o direito de ter o coração pesado com tanta coisa boa acontecendo.
Ainda há muita coisa para arrumar, um coração para limpar, uma mente para organizar, e vou fazendo isso aos poucos, tentando não me deixar meu coração voltar a se afogar.

Nesses vaievems da vida, eu vou indo, aproveitando as paisagens verdes e me afogando na escuridão, e no espaço eu sinto o amor florescer das flores secas.

2 comentários:

Jacinta Dantas disse...

Eita que dezenove anos é...
caramba! começo de vida, ao menos de vida adulta.
Que legal ver vc se aprimorando, construindo seus pilares, organizando seus passos e fazendo o seu caminho.
Então, caminhe. Viva!
Bjs

Camilla disse...

Que legal, Roberta!

Me diz, vc faz faculdade de comunicação?