segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Se foi...



Quinze dias foram suficientes para que conquistasse a todos, até aqueles que não suportavam seus pêlos.Seus dentes afiados, que ainda rasgavam sua pele e insistiam em tentar a rasgar a nossa, não intimidaram carinhos e brincadeiras. Os olhos azuis que ora olhavam assustados, ora zombateiros, mas sempre curiosos costumavam descobrir o que estavamos fazendo.
Correria pela casa, saltos no ar, tombos bobos e batidas, e sempre uma sombra no pé de quem andava pela casa.
Foram só quinze dias e foi o que bastou para que enchesse a casa de alegria, com seu ronrorar na hora de dormir e resmungos na hora de comer.
Sempre que eu a olhava pensava se o rajado cinza ia ficar muito mais forte quando crescesse, tinha também os quadradinhos na barriga, e o risco que saia do olho e parecia proposital e não só uma marca da natureza.
Mas ela se foi e nunca vou saber como ela ficaria, e é difícil não pensar nos "E se" "Eu devia ter" "Eu podia". Não foram só as marcas nos braços que essa pestinha deixou...

Que Hécate te leve em paz para o outro lado, meu anjinho que quatro patas.

0 comentários: