sábado, 22 de dezembro de 2007

“O tempo não pára...”

Não mesmo, Cazuza! Não só não pára como passa a cada ano mais rápido! Parece que foi mês passado que eu estava chorando no Ano Novo, mas já faz quase 12 meses!
Será que quanto mais velha eu fico mais rápido o tempo passa? Se for daqui uns 5 anos o ano vai passar como um dia... Já não basta a vida ser curta, tem que ser também rápida?
Bom, não é hora de discutir com a vida, mas de conversar com ela...parar, sentar e refletir sobre o que passou, sobre o que virá. Corrigir os erros, continuar com os acertos, mudar o que não se gosta. Não vou definir metas (não as cumpriria mesmo), só vou pensar em tudo que foi, mais uma vez digerir o aprendizado...que esse ano foi muito.
Muita coisa mudou, muito está mudando, eu mudei, as pessoas mudaram, sumiram, eu sumi. Acho que esse foi o primeiro ano de uma vida de verdade. Bom, eu quero é mais!
Vou aproveitar esse final de ano para por de lado o relógio, esquecer as horas e, simplesmente, VIVER!



Citando [e adaptando] um ator que não lembro o nome:

“Para você que está bem que o Natal seja muito feliz e o que 2008 continue trazendo coisas boas! Para você que está mal, passando por uma fase difícil, lembre-se que essa época é um recomeço, hora de terminar o ano e também o que não foi bom e começar tudo de novo. Que 2008 traga coisas novas e muita felicidade!”



E um texto que na passagem de 2005/ 2006 já postei em outro blog meu, mas continua sendo um texto mais que perfeito!


Ano Novo - não sei o nome original

Carlos Drummond de Andrade

Quem teve a ideia de cortar o tempo em fatias,
a que se deu o nome de ano,
foi um indivíduo genial.

Industrializou a esperança,
fazendo-a funcionar no limite da exaustão.

Doze meses dão para qualquer ser humano
se cansar e entregar os pontos.

Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez,
com outro número e outra vontade de acreditar
que daqui pra diante vai ser diferente.

Para você,
Desejo o sonho realizado.
O amor esperado.
A esperança renovada.

Para você,
Desejo todas as cores desta vida.
Todas as alegrias que puder sorrir.

Para você neste novo ano,
Desejo que os amigos sejam mais cúmplices,
Que sua família esteja mais unida,
Que sua vida seja mais bem vivida.

Gostaria de lhe desejar tantas coisas...
Mas nada seria suficiente...

Então, desejo apenas que você tenha muitos desejos.
Desejos grandes... e que eles possam te mover a cada minuto,
ao rumo da sua FELICIDADE !!! ?





Faço das palavras de Drummond as minhas (quem me dera fossem!) e esses são meus desejos para todos os que aqui passarem – e que não passarem também!!
E lá vou eu agora: fazer unha, depilação, sobrancelha e essas coisas de mulherzinha!

Beijos e até o ano que vem!

PS: Desculpem o post mal escrito!

11 comentários:

Lizzie disse...

Eu sou APAIXONADA por este texto do Drummond! "Quem teve a idéia de dividir o tempo em fatias..." Ai, ai.
Que teu Natal seja maravilhoso, repleto de bênçãos!
Beijão
Adoro-te!

Lizzie disse...

OOps, esqueci de colocar o endereço do meu blog!Huahuahua









www.lizziepohlmann.com

Lizzie disse...

Venho através deste comentário desejar um FELIZ NATAL/YULE/LITHA! Que seja repleto de bênçãos e alegrias.
E que 2008 venha renovar os ânimos, as oportunidades, o sentir. Que estejamos todos abertos para esta renovação!
Grande beijo!
Namastê!

Tathiana disse...

Não tem nada de mal escrito, ao contrário.
Feliz natal pra vc.
Beijos.

Lizzie disse...

Sem problemas, Ro.Meu sistema de comentários é meio doidinho assim mesmo!Rsrs.
Como foste de Natal? O meu foi movido pelo tédio.Rs
Beijão



www.lizziepohlmann.com

*Lusinha* disse...

Sabe, eu sempre fui da opinião de que deveríamos repensar nossa vida, avaliar o que temos feito até aqui, pedir as desculpas pelos erros, sempre e não somente em uma época do ano. Mas, quando comecei a ler o seu post, pensei que não podemos ficar reavaliando tudo a toda hora, então, podemos nos estipular um prazo, uma data para que "tudo" seja repensado... E Drumoond talvez esteja mais que certo, "Industrializou a esperança,
fazendo-a funcionar no limite da exaustão.

Doze meses dão para qualquer ser humano
se cansar e entregar os pontos.

Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez,
com outro número e outra vontade de acreditar
que daqui pra diante vai ser diferente."

Bjitos!

Geovane Gomes disse...

"Não vou definir metas (não as cumpriria mesmo)..." Por que é que na nossa vida a gente procura sair das linhas?

disse...

Lusinha, acho que se tentassemos avaliar tudo a cada momento ficariamos loucos! Por isso acredito que devemos sim, avaliar, reavaliar, mas de tempos em tempos. Não necessariamente a cada 12 meses, mas quando julgarmos necessário. Ou seja, concordo com vc! rs Bjos para vc tmb

PS: Os outros comentários foram respondidos nos respectivos blogs, continuo tentando arranjar um jeito de responder os comentários!

Geovane Gomes disse...

Rô, desculpa não ter sido claro. Eu apenas quis concordar contigo. Quando disse "sair das linhas" é justo isso: o que 'escrevemos' pra nós mesmos, nós não fazemos! Gostei mesmo dos teus textos. Valeu pela atenção!

Lu Monte disse...

Esse texto é mesmo fantástico, todo ano vem bem a calhar.

Obrigada pelo comentário no Deusário, e um Feliz 2008!

Jacinta disse...

Ei menina,
Gosto muito desse poema: o tempo em fatias. E de fato, em tempos de reflexão sobre o que foi e o que virá, me cai como uma luva.

Jacinta