quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Em meio a tormenta do meu coração

A tempestade que vem do meu peito varre meus [pré]conceitos, inunda meus olhos e destrói minhas bases. Hecate em tormenta, Ixchel derrubando seu jarro, Sedna me puxando pro seu reino gelado e me lembrando que há pérola de esperança no fundo.
A tempestade que derruba é a única que me dá oportunidade de reconstrução: conceitos mais firmes e menos pré-concebidos, olhar mais aguçado e observador, bases mais sólidas.
Seja bem-vinda, Mãe Hécate em tormenta.

0 comentários: