quinta-feira, 30 de julho de 2009

Terror

Desistir, insistir... decidir. Do pouco que eu sabia só restou a rima pobre, verbo com verbo, sangue com sangue, dúvida com dúvida. Dormi cheias de certezas, decisão tomada, peito leve.

Acordei flutuando e as horas seguiram, até me deparar com a certeza ao lado, que não é minha, mas grita, me bate. Ri das minhas dúvidas, da minha ignorância imatura, da falta de sonhos. Ela fortalece minhas incertezes, fortalece meu não. Me enfraquece, me aterroriza...

Decidir mesmo com a certeza que intimida, decisão tomada, plano feito... agora não estará mais apenas nessas mãos precoces.

2 comentários:

Camilla disse...

Nossa, definiu meu estado de espírito nessas poucas palavras. Perfeito!

Tinha perdido o link do seu blog, por isso o sumiço. Me desculpa!

Beijos, Rô!

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Adorei!